http://iflorestal.sp.gov.br

Programa de Jovens – Meio Ambiente e Integração Social

  • Nome: Programa de Jovens – Meio Ambiente e Integração Social- Pj-Mais – RBCV/SP
  • Responsável: Luís Alberto Bucci
  • Data de início: 1996
  • Objetivos gerais: Promover a formação ecoprofissional de jovens em situação de vulnerabilidade social e inserção dos mesmos no ecomercado de trabalho.
  • Objetivos específicos: 
  1. Construir a cidadania e resgatar valores de jovens, famílias e comunidades, ao mesmo tempo promover a mudança de comportamento;
  2. Formar profissionalmente para a área ambiental: práticas agroflorestais, turismo sustentável, agroindústria artesanal e consumo, lixo e arte;
  3. Formar mão-de-obra qualificada para trabalhar com práticas agroflorestais, turismo sustentável, agroindústria artesanal e reciclagem;
  4. Promover a conservação, recuperação e uso sustentável dos recursos naturais, sociais e culturais;
  5. Formar cientificamente estimulando o jovem a observar, continuar seus estudos e desenvolver pesquisa;
  6. Apoiar o desenvolvimento de projetos de intervenção na comunidade;
  7. Apoiar o desenvolvimento de pesquisa e iniciação científica;
  8. Fomentar políticas públicas para geração de oportunidades de trabalho na área ambiental visando à inclusão dos jovens;
  9. Estimular o desenvolvimento local e a economia solidária;
  10. Gerar renda e inclusão social de jovens e suas famílias no mercado local.

 

  • Público-alvo: Adolescente
  • Secretaria: Meio Ambiente
  • Órgão/Instituição responsável: Instituto Florestal – IF / Coordenação da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo – RBCV/SP
  • Parcerias: Prefeituras de Cajamar, Cotia, Cubatão, Diadema, Embu, Embu Guaçu, Guarulhos, Itapecerica da Serra, São Bernardo do Campo, Santo André – Vila de Paranapiacaba, São Roque, São Paulo;; Paraibuna – Instituto H&H Fauser;; Associação Holística de Participação Comunitária Ecológica – AHPCE;; Fundação Florestal;; Ministério do Meio Ambiente;; UNESCO e Banco Mundial.
  • Equipe: Luís Alberto Bucci (Coordenador RBCV);; Bely Clemente Camacho Pires (Técnica em Gestão de Negócios – prestadora de serviços);; Kátia Mazzei e Silvia Belatto Nogueira (Pesquisadores Científicos em Geoprocessamento e Planejamento Territorial);; Ondalva Serrano (Consultora na proposta pedagógica do PJ-MAIS – prestadora de serviços);; Fernanda Jacinto (Estagiária);; Caroline Melo Pessoa da Silva;; Patrícia Ferreira e Lima;; Marilin Pereira (Secretária).
  • Justificativa: O Cinturão Verde da Cidade de São Paulo, declarado Reserva da Biosfera pela UNESCO em 1994, abriga enorme biodiversidade (Mata Atlântica) e os serviços de ecossistemas que garantem o bem-estar de mais de 10 por cento da população brasileira. As zonas periurbanas da região apresentam as melhores condições ambientais e os piores índices de exclusão social. O “Programa de Jovens – Meio Ambiente e Integração Social”, proposto em 1996, visa ao treinamento ecoprofissional de comunidades carentes do cinturão verde e ao fomento do ecomercado de trabalho e da geração de renda a essas populações, de modo a estimular a conservação ou recuperação do meio ambiente simultaneamente ao processo de inclusão socioeconômica.
  • Histórico do projeto: Em 1996, a Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo procurou a UNESCO com o objetivo de desenvolver um inovador modelo de treinamento de jovens em ações voltadas ao meio ambiente. A idéia era contribuir com a construção de um programa que foi iniciado em 1990, pelo Governo do Estado de São Paulo em colaboração com a FAO (Organização para Agricultura e Alimentação) denominado “Práticas Agroflorestais e a Participação do Jovem em Áreas Periurbanas – O Caso São Paulo” destinado a cobrir uma série de temas, além da agrofloresta, relevantes para a Reserva da Biosfera.Posteriormente, em 1996, um projeto piloto denominado “Treinamento Ecoprofissional Integral para conservação da Biodiversidade e Uso Sustentável” foi implantado no município de São Roque, envolvendo vários parceiros. São Roque está situada a 60 km da cidade de São Paulo e faz parte da área abrangida pela RBCV. Abrange uma área de 308 km2 dos quais mais de 50 por cento é rural, contando com uma população de mais de 60.000 habitantes, cuja principal fonte de renda vem de produtos agrícolas, produção orgânica e turismo.Atualmente, a Rede do Programa de Jovens conta com 17 Núcleos de Educação Ecoprofissional em 15 municípios: Cajamar, Cotia (Morro Grande e Caucaia do Alto), Cubatão, Diadema, Embu Guaçu, Embu, Guarulhos, Itapecerica da Serra, Natividade da Serra, Paraibuna, São Bernardo do Campo, Santo André – Vila de Paranapiacaba, São Roque, São Paulo (Horto Florestal, APAS Capivari-Monos e Bororé-Colônia).
  • Unidades de atendimento:
  1.     Prefeitura Municipal de Cajamar – Diretoria de Meio Ambiente, Posturas e Urbanismo de Cajamar
  2.     Núcleo na Escola Municipal Veneranda – Endereço: Estrada da Beneduce, 80 CEP: 07750-000 Centro, Cajamar – SP Fone: 4408-1471;
  3.     Prefeitura Municipal de Cotia – Secretaria de Educação e Turismo de Cotia: Rua Jorge Caixe, 306 Bairro Portão CEP: 06716-690 Cotia – SP Endereço do núcleo: Avenida Prof. Manoel José Pedroso, 1700; 3.§ andar – sl. 24 (coord.) Fone: (11) 4614-2952;
  4.     Prefeitura Municipal de Diadema – Secretaria do Meio Ambiente e-mail: meioambiente@diadema.sp.gov.br Endereço: Rua Ipitá, 193 Bairro Inamar CEP: 0997-350 Diadema – SP Fones: 4059-7600 ou 4059-7614;
  5.     Prefeitura Municipal de Embu Guaçu – Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Turismo e-mail: eambientalpmeg@ig.com.br Endereço: Rua Arlete Aparecida de Morais Lopes, 210 – Centro CEP: 06900-000 Embu Guaçu SP Fone: 4661-4158;
  6.     Prefeitura Municipal de Guarulhos – Secretaria de Meio Ambiente Endereço: Rua Antonio Vita, 09 CEP: 07114-010 Guarulhos – SP Roberto Carlos Castro Marcondes de Campos Coordenador Cel: 8579-2331 / 2229-1512 e-mail: marcondes@consultoria.net;
  7.     Horto Reserva da Biosfera do Cinturão Verde – RBCV Coordenador: Paulo Cel: 9375-5711 e-mail: paulobiologo@gmail.com
  8.     Prefeitura Municipal de Itapecerica da Serra – Secretaria do Meio Ambiente Endereço: Rua Inácio Pereira dos Santos, 80 Centro CEP: 06871-020 – Itapecerica da Serra – SP Fones: 4668-9289 / 9295 / 9296 Marisa F. Foa e-mail: marisaffoa@gmail.com;
  9.     Prefeitura de Santo André – Subprefeitura de Paranapiacaba – Gerencia de Recursos Naturais Endereço do Núcleo: Avenida Paula Souza, s/n – Paranapiacaba CEP: 09150-070 Fone: 4439-0567 Leandro Wada, Coordenação geral e pedagógica e-mail: ecrissilva@santoandre.sp.gov.br;
  10.     Paraibuna – Instituto H&H Fauser Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo – Secretaria de Habitação e Meio Ambiente Endereço: Avenida Amazonas, 460 – Riacho Grande CEP: 09830-140 – São Bernardo do Campo – SP Coordenador: Francisco Antonio da Silva Cel: 9977-7521 e-mail: xiquinhofas@uol.com.br;
  11.     Prefeitura da Estância Turística de São Roque – Departamento de Educação e Cultura Endereço: Avenida Aracai, Centro Cultural Brasital CEP: 18000-130 São Roque – SP e-mail: pjnsaroque@yahoo.com.br Fone: (11) 4712-4083.

 

  • Condições Cidadão: Jovens freqüentadores do ensino médio público, em comprovada situação de vulnerabilidade social, habitantes da RBCV. Cada Núcleo de Educação Ecoprofissional (responsável localmente pelo Programa de Jovens do município) realiza um procedimento de seleção de alunos nas escolas do município em questão. A equipe local do Núcleo define critérios coerentes com a filosofia do Programa para selecionar os alunos participantes
  • Condições Prefeituras: O município deve pertencer à área da RBCV; a prefeitura encaminha ofício à diretoria do Instituto Florestal solicitando a implementação de um Núcleo de Educação Ecoprofissional, justificando a requisição.
  • Recursos oferecidos: A coordenação da RBCV oferece apoio técnico-pedagógico na implementação do Núcleo de Educação Ecoprofissional;; Formação do quadro técnico local para atuar no Programa;; Orientação na implementação das oficinas pedagógicas (Turismo Sustentável, Produção Agroflorestal, Consumo/Lixo&Arte, Agroindústria Artesanal e Formação Integral;; Orientação na criação de ecomercado de trabalho;; Orientação na inserção de jovens no ecomercado de trabalho;; Apoio na articulação institucional;; Monitoria e resolução de conflitos dos Núcleos de Educação Ecoprofissional;; Orientação na elaboração de projetos para captação de recursos;; Animação da Rede de Núcleos e calendário de eventos para mobilização e capacitação dos Núcleos).; No caso de haver projetos com apoio financeiro externo à Secretaria de Meio Ambiente também podem ser oferecidos aos Núcleos equipamentos para as oficinas e bolsas de estudo para alunos. 
  • Custos: Gratuito
  • Atualização do cadastro: 07/2010