http://iflorestal.sp.gov.br

Assis

  • Nome: Estação Ecológica de Assis
  • Município: Assis
  • Divisão: Divisão de Florestas e Estações Experimentais (DFEE)
  • Diploma Legal: Dec. 35.697 de 21/09/92 e Dec. 47.097 de 18/09/2002
  • Seção: Seção de Floresta Estadual de Assis
  • Responsável: Giselda Durigan
  • Endereço: Estrada Assis – Lutécia km 09 Assis-SP
  • Bairro: Zona Rural
  • CEP: 19800-970
  • Via de Acesso: Rodovia Raposo Tavares / Rodovia Castelo Branco e SP-333
  • Caixa Postal: 104
  • Telefone: (18) 3325-1066 e (18) 3325-1045
  • Email: florestassis@gmail.com
  • Visitação: Segunda a sexta das 8h às 17h
  • Área (ha): 1760,64
  • Latitude: 22º33´ a 22º36´ S
  • Longitude: 50º22´ 50º23´ W
  • Amplitude Altitudinal: de 500 a 590 m
  • Observação: Protege o manancial de abastecimento público da cidade de Assis, abriga espécies da fauna e flora ameaçadas de extinção.
  • Clima: Zona de transição entre os tipos cwa e cfa de Köppen
  • Temperatura: Temperatua média anual de 21°C.
  • Topografia: Relevo suave ondulado. Altitude variando de 500 a 590 m acima do nível do mar.
  • Solo:
    1 – LE1 – Latossolo vermelho-escuro álico, a moderado, textura média.
    2 – PV2 – Podzólico vermelho-amarelo eutrófico, tb, abrúptico, a moderado, textura arenosa média.
    3 – AQa – Areia quartzosa álica, a moderado.
  • Uso do Solo: Cobertura vegetal natural em 100% da área
  • Hidrografia: Nascentes dos córregos Piratininga, Campestre e Palmitalzinho(manacial de abastecimento da cidade de Assis) afluentes de 1ª ordem do Rio Paranapanema, inseridos na Bacia Hidrográfica do Médio Paranapanema (VGRI – 17) – unidades Hidrográficas Pari e Capivara.
  • Ecossistema: A vegetação da Estação Ecológica vem passando por um processo de adensamento, com tendência ao desaparecimento das fisionomias mais abertas do cerrado e aumento da densidade de espécies florestais na zona de transição. Na Estação Ecológica predomina a fisionomia Cerradão, mas apresenta também cerrado Stricto Sensu e tipos florestais ripários (Mata de Brejo e Mata Ciliar).
  • Fauna:
  • Flora: 486 espécies registradas de plantas vasculares. 15 espécies em extinção. A alta riqueza de espécies é consequência da diversidade de fisionomias e da condição ecotonal.
  • Comunidades humanas: Não há
  • Principais ameaças: Caças, incêndios, extrativismo
  • Educação Ambiental: Sim

O Ministério da Saúde recomenda a vacina da febre amarela aos visitantes que forem para a região