http://iflorestal.sp.gov.br

02/04/19 12:00

Crianças, universitários e terceira idade: educação ambiental no Horto de Tupi

Na semana passada, a Estação Experimental de Tupi (também conhecida como Horto Florestal) realizou diversas atividades junto a diferentes públicos. As ações são resultado do trabalho conjunto do Instituto Florestal e da Prefeitura de Piracicaba na gestão da área protegida e que tem a participação de vários parceiros locais.

Trazendo as crianças pro Horto
No dia 24 de março (domingo), o Instituto Florestal,  a Prefeitura de Piracicaba e o Espaço Pipa promoveram diversas atividades lúdico-educativas na Estação Experimental de Tupi. O evento contou com um público de aproximadamente 250 pessoas.

As crianças tiveram acesso a camas elásticas, brinquedos infláveis, contação de histórias, atividades escoteiras, cães do projeto “Cãopanheiro”, cozinha experimental, palhaços do “Plantadores da Alegria”. Também houve distribuição de pipoca e algodão doce.

O evento é resultado da a união do projeto “Lazer no Parque” e o “IX Tricnic das Dádivas”. O espaço Pipa é uma organização voltada à garantia de direitos da pessoa com Síndrome de Down ou deficiência intelectual.

Melhor idade
Se as atividades desenvolvidas no domingo foram voltadas ao público infantil, na terça-feira, dia 26, a atenção foi direcionada aos idosos.

No 1º encontro de 2019 do “Bacia Caipira: valorizando o ambiente e cuidando da saúde” grupos da terceira idade de Piracicaba e Santa Bárbara d’Oeste realizaram a “Trilha da Biodiversidade”. Tiveram a oportunidade de dialogar sobre a água, a história do local, a importância das áreas naturais para a nossa saúde, entre outros temas. Também iniciaram a aplicação da dinâmica ROSA (Refletir, Observar, Sonhar e Agir), que busca promover mudanças concretas nos locais onde esses grupos participantes se reúnem.

Essas atividades foram desenvolvidas pelo Instituto Florestal, os Núcleos de Educação Ambiental das Prefeituras de Piracicaba e Santa Bárbara d’Oeste, bem como pelo Departamente do Água e Esgoto (DAE) de Santa Bárbara d’Oeste.

Diálogo com a universidade
Na mesma semana, com o intuito de colaborar para o fortalecimento do tripé universitário (ensino, pesquisa e extensão), também foi iniciado, pelo segundo ano, o trabalho educativo com os alunos do curso de Ciências Biológicas da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” – ESALQ/USP na disciplina “Ecologia Aplicada”.

Os estudantes realizaram registros fotográficos dos aspectos que lhes chamaram a atenção, elaboraram perguntas sobre a unidade, percorreram a Trilha da Biodiversidade, visitaram o entorno da unidade e participaram de uma roda de conversa sobre os programas de educação ambiental da Estação Experimental de Tupi, bem como esclarecimento das dúvidas levantadas em grupo. Como resultado da atividade os alunos decidiram estudar, neste semestre, junto com seus tutores, propostas para a unidade quanto à fauna, flora, solo, questões sociais do entorno, educação ambiental, uso público, entre outros temas.

Gestão compartilhada
Todas essas atividades fazem parte do rol de ações realizadas em conjunto pelo Instituto Florestal e Prefeitura de Piracicaba, com a participação de diversos parceiros, no âmbito da permissão de uso assinada por ambas as instituições.

Conforme previsto nesse mesmo documento, em fevereiro foi criado o Comitê Gestor da Área de Visitação Pública da Estação Experimental de Tupi, que realizou sua primeira reunião no último dia 22, na qual foram empossados os membros do Instituto Florestal, da Prefeitura de Piracicaba, da ESALQ e da Associação Esportiva Tupi Futebol Cube. Nesse encontro, foi aprovado o regimento interno do Comitê, atualizações nos programas de educação ambiental deste ano, regras para eventos esportivos na unidade, um site para o Comitê Gestor para dar transparência a todo o processo (www.hortodetupi.wixsite.com/comitegestor), entre outros temas.

A próxima reunião do comitê será no dia 29 de abril, às 13h30min, sendo que as reuniões são públicas e abertas à participação da sociedade.

Fotos: Acervo Estação Experimental de Tupi

Mais informações:  Maria Luísa Bonazzi Palmieri – Tel. (19) 3438-7116 / 3438-7200