http://iflorestal.sp.gov.br

19/06/18 09:20

“Horto de Tupi” promove caminhada e oficina de planejamento de trilhas para ciclismo

As atividades integram o Programa Vem Pro Horto, que busca aproximar a população da unidade para que esta se torne cada vez mais um espaço educador sustentável

Neste final de semana (16 e 17 de junho), a Estação Experimental de Tupi (Horto de Tupi) realizou caminhada, trilha e oficina de ciclismo. As atividades são abertas ao público e integram o Programa “Vem Pro Horto”, que busca aproximar a população da unidade para que esta se torne cada vez mais um espaço educador sustentável.

Caminhada por uma vida mais saudável
No sábado foi realizada a “Trilha da Saúde”. A atividade teve a participação de aproximadamente 50 pessoas de Piracicaba e região. O início da caminhada ocorreu na Praça da Igreja Matriz São José de Tupi, de onde a comunidade seguiu em direção ao Centro de Visitantes da Estação Experimental de Tupi. Já na unidade, foi realizada uma trilha educativa. Foram formados grupos e os participantes interagiram por meio de um “quiz” sobre o “Horto de Tupi” e sua relação com a saúde e qualidade de vida.

Após esse momento de aprendizagem e lazer, realizou-se um “abraço coletivo”, enfatizando-se a importância da parceria entre o Instituto Florestal (IF), a Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente de Piracicaba (SEDEMA), a Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (ESALQ/USP) e a comunidade local (representada inclusive pela Associação de Moradores do Distrito de Tupi e pela Escola Estadual Pedro de Mello) no desenvolvimento desta e outras ações de educação ambiental e uso público na área.

A “Trilha da Saúde” foi uma iniciativa de estudantes de Ciências Biológicas da ESALQ/USP que estão desenvolvendo propostas para a Estação Experimental de Tupi com o auxílio de seus tutores na disciplina “Ecologia Aplicada”, ministrada pelos professores Katia Ferraz e Flávio Gandara.

Maria Luísa Palmieri, especialista ambiental do IF e tutora do grupo, ressaltou a importância do protagonismo dos estudantes no desenvolvimento de propostas para a unidade com o envolvimento da comunidade e o reconhecimento do papel da área para a saúde e qualidade de vida. Nesse sentido, o aluno Lucas Marquioni afirmou que as áreas naturais podem contribuir para diminuir o estresse e os problemas respiratórios.

Ciclismo e integração
No domingo foi realizada uma atividade do “Ciclo de oficinas para planejamento e manejo de trilhas para ciclismo”. Nesta oficina, os cerca de 40 ciclistas tiveram a oportunidade de percorrer a trilha selecionada nos encontros anteriores e indicar os pontos importantes para sinalização e práticas de manejo. Os participantes não identificaram a necessidade de interferências na trilha para a construção de obstáculos uma vez que já existem características naturais que representam diferentes graus de dificuldade para os praticantes da atividade. Assim haverá menor necessidade de manutenção futura e a diminuição de riscos de acidentes para os ciclistas.

A atividade foi desenvolvida pelo IF, SEDEMA e Laboratório de Áreas Naturais Protegidas (LANP) da ESALQ, no âmbito da pesquisa de doutorado “Impactos socioambientais da mountain bike” de Carolina Teixeira Bartoletti, sob orientação da professora Teresa Cristina Magro-Lindenkamp (LANP/ESALQ/USP).

Já foi definido um novo encontro no mês de julho para finalização da etapa de planejamento da trilha.

Resgate da cultura caipira
O projeto “Bacia Caipira: seguindo as águas e trazendo histórias”, fruto da parceria entre o Instituto Florestal e as prefeituras de Piracicaba e Santa Bárbara d’Oeste, realizará atividade aberta ao público no dia 26 de junho, na entrada da Estação Experimental de Tupi. Os os participantes terão a oportunidade de realizar caminhada pela unidade e conhecer um pouco sobre a sua história e importância.

Fotos: Acervo Estação Experimental de Tupi

Mais informações: Maria Luísa Palmieri – Estação Experimental de Tupi – Tel:(19) 3438-7116