http://iflorestal.sp.gov.br

10/06/18 18:09

Governo do Estado de São Paulo inaugura “Diálogo de Talanoa”

Evento na SMA - “São Paulo no Clima” - reuniu especialistas e autoridades de todas as esferas governamentais

As Ilhas Fiji podem ser varridas do mapa. Por causa do aumento do nível do mar – uma das consequências das mudanças climáticas – , nações como o arquipélago paradisíaco do Pacífico correm o risco de ficarem submersas em futuro não tão distante. Sem contar que o país foi atingido por um devastador ciclone em 2016, com dezenas mortes, milhares de desabrigados e casas transformadas em sucata, em razão dos ventos de centenas de quilômetros por hora.

Não é à toa que o primeiro-ministro de Fiji liderou a 23ª Conferência do Clima das Nações Unidas (COP 23), em Bonn, no final de 2017. E não é por acaso que um representante do governo fijiano, o embaixador Cama Tuiloma, fez questão de prestigiar, com sua presença, a abertura do evento “São Paulo no Clima – Diálogo de Talanoa”, realizado no dia 7/6 pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente de São Paulo (SMA) e o ICLEI, principal associação mundial de governos locais e subnacionais dedicados ao desenvolvimento sustentável, durante programação da Semana do Meio Ambiente.

“Talanoa”, na língua nativa de Fiji, é uma palavra tradicional usada no Pacífico para refletir um processo de diálogo inclusivo, participativo e transparente. Lançado em Bonn, durante o evento mundial, o Diálogo de Talanoa prevê um ano de discussões, ao longo de 2018, visando aumentar a ambição dos planos nacionais estabelecidos no Acordo de Paris, para manter o aumento da temperatura média global bem abaixo dos 2°C e buscar esforços para limitar a 1,5ºC acima dos níveis pré-industriais.

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da SMA, deu o pontapé inicial em território nacional, promovendo o evento, que já consta da agenda oficial do Diálogo de Talanoa, convidando inúmeras autoridades e especialistas na questão. Ao lado do secretário Maurício Brusadin, do diretor-presidente da CETESB, Carlos Roberto dos Santos, e do embaixador fijiano, estiveram presentes os ex-secretários estaduais do Meio Ambiente, prof. José Goldemberg e Fábio Feldmann; Alexandra Macial, da Secretaria de Mudança do Clima e Florestas do Ministério do Meio Ambiente; José Antônio Marcondes de Carvalho, embaixador e subsecretário geral de Meio Ambiente, Energia, Ciência e Tecnologia do Ministério de Relações Exterior; Alfredo Sirkis, coordenador executivo do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas; Rogério Meneses, presidente da Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente; Rodrigo Perpétuo, secretário executivo do ICLEI para a América do Sul; e tantos outros (confira a programação do São Paulo no Clima).

E, como ressaltou a coordenadora do evento e chefe da Assessoria Internacional da SMA, Jussara de Lima Carvalho, valeram a pena os esforços, apoio e efetiva participação de todos os presentes. Como ela mesma salientou, duas importantes conquistas já resultantes do encontro foram a inclusão do “São Paulo no Clima” na programação oficial do “Diálogo de Talanoa” – o primeiro no país – , e o anúncio, pelo representante do Ministério de Relações Exteriores de que o Brasil já planeja realizar um “Diálogo Nacional de Talanoa”.

Conforme o secretário Brusadin, o evento veio mesmo para iniciar “este encontro de idéias, oferecendo a contribuição do Estado de São Paulo, no âmbito das três perguntas norteadoras do Diálogo: : – Onde estamos? – Onde queremos chegar? – Como faremos?”. Essas perguntas nortearam as discussões nas mesas-redondas realizadas na parte da manhã com autoridades dos três níveis de governo e com representantes da sociedade, e, também, nas rodas de conversa, realizadas no período da tarde.

Com base nos resultados do evento, ressaltou o secretário Maurício Brusadin, será elaborada nos próximos dias uma carta a ser enviada pelas entidades representantes de governos municipais e estaduais ao Governo Federal, por meio do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas, com recomendações para o engajamento desses atores na Governança Climática Brasileira e na Estratégia de Implementação e Financiamento da Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) do Brasil.

O evento no auditório da sede da SMA contou os apoios dos Governos Locais pela Sustentabilidade (ICLEI) e Cities & Regionais Talanoa Dialogues. Ainda durante a manhã, o prof. Goldemberg, como presidente da FAPESP, assinou o repasse de verba de R$ 11,2 milhões, para fins de pesquisas, ao Instituto Geológico (IG) e ao Instituto de Botânica (IBt), ambos vinculados à SMA.

Fonte: http://www.ambiente.sp.gov.br/2018/06/governo-do-estado-de-sao-paulo-inaugura-dialogo-de-talanoa/