http://iflorestal.sp.gov.br

08/06/18 17:24

Museu Florestal realiza restauro aberto de obras de arte

Projeto é resultado de parceria do Instituto Florestal com o Museu de Arte Sacra de SP e o Núcleo Artes Conservação e Restauração

A partir de março de 2018 se iniciou, no Museu Florestal Octávio Vecchi, um trabalho de restauração do tríptico do artista Helios Seelinger, um óleo sobre tela de grandes dimensões (7 m x 3,9 m) que representa três episódios da história de São Paulo: o descobrimento do litoral de São Vicente, por Martim Afonso, uma bandeira chefiada pelo bandeirante Fernão Dias Paes Leme, e a cidade de São Paulo com seus arranha-céus. Para a realização desse projeto foi estabelecida parceria entre o Instituto Florestal (IF), o Núcleo de Artes Conservação e Restauração (NAR) e o Museu de Arte Sacra de São Paulo (MAS).

Parceiros na restauração do patrimônio
O trabalho de restauração da obra de Seelinger será realizado pela professora especialista Josy Morais, do NAR, e por alunos concluintes do curso de restauração de pinturas sobre cavalete do MAS. Em 2016, o Museu de Arte Sacra realizou primeira edição deste curso, que aborda os procedimentos adotados na recuperação de obras de arte nas diversas fases de intervenção, promovendo aprendizado teórico e prático aos interessados em atuar nessa área.

O Núcleo de Artes Conservação e Restauração é um centro de pesquisas com a missão de preparar os alunos, tornando-os profissionais altamente qualificados e comprometidos em oferecer suportes intelectuais nos diversos segmentos da conservação e restauração. “O NAR tem a missão didática e de divulgação, não só da importância da preservação de nossos bens culturais, como também da atualização e aprimoramento de nossos profissionais conservadores-restauradores”, explica Josy.

Munidos de todo o conhecimento adquirido nos cursos realizados no Museu de Arte Sacra e com o apoio e coordenação de profissionais especialistas na área de conservação e restauro, os alunos farão o trabalho de restauração, passando pelas várias etapas desse processo, como documentação, registro fotográfico documental, fixação de policromia, testes de solubilidade, análise estrutural de suporte, nivelamento e recomposição cromática.

A coordenadora do restauro elogia a coesão da equipe, além da maestria e da técnica com as quais o trabalho está sendo executado. Josy conta que o restauro aberto é uma prática bastante comum na Europa, mas ainda rara no Brasil. “Os técnicos realizam o restauro com a oficina aberta à visitação do público, ficando sempre um técnico responsável por dar as devidas explicações aos visitantes sobre o trabalho, a obra e a importância da profissão”, revela.

Todas as primeiras sextas-feiras e sábados do mês, o Museu Florestal abre suas portas para a equipe realizar o trabalho de restauro e se transforma num grande laboratório aberto. Venha visitar o Museu e vivenciar essa experiência inesquecível.

Quem foi artista que pintou a obra
Helios Seelinger (1878-1965) nasceu no Rio de Janeiro e estudou na Alemanha. Trabalhou no Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro. Sua a participação na Semana de Arte Moderna de 1922, em São Paulo, influenciou seus quadros, que passaram a representar lendas brasileiras e manifestações culturais típicas do Brasil.

Saiba Mais: http://web.revistarestauro.com.br/museu-florestal-octavio-vecchi-anuncia-restauro-aberto-do-triptico-de-helios-seelinger/

Mais informações: Museu Florestal Octávio Vecchi – Tel. 2231-8555 / ramal 2053