http://iflorestal.sp.gov.br

16/02/18 14:30

Aniversário de 122 anos do PEAL teve caminhada histórica e plantio de mudas

O circuito teve mais de três horas de atividades e contou com a presença de cerca de 40 participantes

No último sábado, 10 de fevereiro, em comemoração aos 122 anos do Parque Estadual Alberto Löfgren (PEAL), foi realizada caminhada pelos principais atrativos do parque abordando pontos importantes de sua história. Foram mais de três horas de atividades no circuito que explorou diversos cantos da unidade, com direito a plantio de mudas.

O feriado de Carnaval não afastou os cerca de 40 participantes. O trajeto teve início na entrada do Parque. O público se dirigiu ao Palácio do Horto (antiga residência de verão do governador) e em seguida o Museu Florestal Octávio Vecchi, ambos prédios históricos que chama a atenção por suas arquiteturas. Ao passarem pelas imagens de São João Gualberto e do Curupira, ambos protetores das florestas, foi lembrada a importância da fé e do folclore para a conservação. Após o plantio de mudas, os visitantes tiveram a oportunidade de conhecer o prédio da sede do Instituto Florestal (IF), localizado em área restrita do PEAL.

Foram apresentadas ao participantes da caminhada figuras como o sueco Alberto Löfgren, que dá nome ao parque, e o português Octávio Vecchi: atores determinantes para a trajetória centenária do que hoje é o Instituto. No final do circuito, foi realizada uma brincadeira com música e contação de histórias para as crianças e os adultos presentes. A atividade, que encerrou o trajeto, aconteceu na área do Parque onde ficam os imponentes pinheiros do brejo, plantados por Alberto Löfgren há mais de um século.

O evento trouxe ao público informações sobre a origem do Serviço Florestal (atual Instituto Florestal) e suas raízes na Comissão Geográfica e Geológica da Província de São Paulo, que além do IF, deu origem a outras instituições, como o Instituto Geológico. A área onde está o PEAL, também conhecido como Horto, era o antigo Engenho Pedra Branca, que foi desapropriado em 1896 para a instalação de um horto botânico.

Um dos destaques do circuito foi a exposição de fotos antigas, que possibilitou ao público comparar como o Parque era antigamente e como é hoje.

O evento foi promovido pelo Instituto Florestal em parceria com a Fundação Florestal, a Coordenadoria de Parques Urbanos da Secretaria do Meio Ambiente e o movimento Conservatio, que tem como objetivo promover a cultura de áreas protegidas. A monitoria foi alternada entre representantes das diversas instituições organizadoras e contou com uma boa participação e contribuição do público, sempre intervindo para agregar com informações importantes sobre a história da região, pois alguns residem ali há anos.

Fotos: Acervo Instituto Florestal