http://iflorestal.sp.gov.br

14/11/17 12:00

Conselhos Consultivos: espaço aberto para a participação social no manejo de UCs

Instituto Florestal dá subsídio técnico e científico aos debates dos conselhos consultivos de áreas protegidas, sanando dúvidas de membros de outros órgãos e da sociedade civil

No dia 08 de novembro aconteceu a 1ª Reunião dos conselhos consultivos do Parque Estadual de Itaberaba e Floresta Estadual de Guarulhos. O encontro foi realizado em formato de oficina ampliada e é parte do processo de consulta pública e participação nos planos de manejo. A reunião ocorreu na Reserva Ibirapitanga no município de Santa Isabel e objetivou colher contribuições para o diagnóstico que está sendo elaborado para os Planos de Manejo do Projeto Piloto do Contínuo Cantareira.

O evento teve a presença de cerca de 60 pessoas, entre conselheiros das unidades do poder público, da sociedade civil e de outros segmentos convidados, representantes do Comitê de Integração dos Planos de Manejo, técnicos e pesquisadores da Secretaria do Meio Ambiente: Instituto Florestal, Fundação Florestal, Instituto Geológico, Cetesb, Coordenadoria de Educação Ambiental (CEA) e Coordenadoria de Fiscalização Ambiental (CFA), Coordenadoria de Planejamento Ambiental (CPLA) e gestores e diretoria da metropolitana e interior.

O Instituto Florestal é imprescindível no que tange ao subsídio científico para os debates acerca das áreas naturais protegidas. Além disso, durante as reuniões, muitas vezes membros de outros órgãos ou da sociedade civil recorrem aos pesquisadores da instituição para sanar dúvidas sobre questões técnicas.

“Hoje é um momento histórico pelo fato da metodologia que está sendo criada na construção de planos de manejo é inovadora e envolve vários técnicos do Sistema Ambiental Paulista”, afirmou Gustavo Alexandre, gestor da Floresta Estadual de Guarulhos.

Já Ana Lúcia Arromba, gestora do Parque Estadual de Itaberaba pontuou o momento como um marco do empoderamento da sociedade local e regional como atores diretos no processo de gestão dessas unidades de conservação.

“A participação na gestão pública é um desafio em todas as esferas municipal, estadual e federal. Estamos com a oportunidade de qualificar sobre que tipo de participação que estamos falando. Esse momento vai se materializar num roteiro metodológico que vai ser replicado pelo restante do Estado e sendo São Paulo um estado pioneiro, provavelmente irá inspirar o restante do País. Os presentes aqui estão escrevendo mais um capítulo da estória da participação social na elaboração dos planos de manejo”, concluiu Juliana Castro, especialista ambiental e membro do Grupo de Trabalho de Participação Social

As oficinas do Parque Estadual de Itapetinga e Monumento Natural da Pedra Grande estão programadas para o dia 10, no município de Atibaia/SP, e da Estação Ecológica de Avaré para o dia 14, em Avaré/SP.

Para acompanhamento e demais contribuições acesse o link www.ambiente.sp.gov.br/consulta-planosdemanejo