http://iflorestal.sp.gov.br

31/03/17 11:58

Visitantes do Horto Florestal acompanham crescimento de árvores pela internet

Evento reúne cerca de 200 pessoas para visitarem as mais de 1.200 árvores plantadas no Parque entre 1974 e 2017

No último domingo, 26 de março, foi realizado no Parque Estadual Alberto Löfgren (PEAL) o Circuito dos Bosques Comemorativos do Horto Florestal. O evento abriu visitação monitorada para quatro bosques localizados na área. Como foram plantados em diferentes épocas, os visitantes podem acompanhar o crescimento das árvores ao longo dos anos.

A solenidade de abertura do evento, realizada no prédio principal da sede do Instituto Florestal (IF), teve as falas de Guenji Yamazoe, pesquisador científico aposentado da casa e idealizador do evento, Sergio Ishikawa, presidente da Associação dos ex Bolsistas da JICA (Abjica), Hiroshi Sato, representante-sênior da Japan Internacional Cooperation Agency (JICA) em São Paulo, Takahiro Nakamae, Cônsul-Geral do Japão em São Paulo, Natália Almeida, responsável pelo Museu Florestal Octávio Vecchi, Luis Alberto Bucci, diretor geral do IF e Lu Alckmin, presidente do Fundo Social de Solidariedade e primeira-dama, representando o governador do Estado.

Em sua fala, Bucci afirmou que “os bosques e arboretos do Instituto Florestal provam que é possível a restauração de florestas nativas em curto período de tempo” e reforçou que isso só ocorre com conhecimento oriundo de pesquisa e trabalho dedicado de um corpo técnico qualificado.

Após a abertura, foi realizado um plantio simbólico de uma palmeira-juçara para Thomaz Alckmin, filho do governador, falecido em 2015 em um acidente de helicóptero. Foi servido aos visitantes um café de boas vindas com produtos preparados com o fruto desta palmeira: suco, pão, bolo, geleia, etc. O estímulo ao consumo da fruta é uma estratégia de conservação da espécie, ameaçada de extinção por conta da extração do palmito.

Também esteve presente no Circuito dos Bosques a equipe de futebol sub-15 da província de Tottori, no Japão. A instalação do Bosque da Amizade teve início em 2012, com os objetivos construir um marco duradouro de amizade entre São Paulo e Tottori, simbolizar a contribuição da comunidade na conservação da Mata Atlântica e demonstrar ao grande público as múltiplas utilidades das espécies desse bioma.

Os visitantes puderam ainda apreciar a exposição fotográfica dos Festivais da Cerejeira, que aconteceram no Instituto Florestal entre 2005 e 2011, e de peças diversas do Museu Florestal Octávio Vecchi, que está localizado na área de uso público do PEAL e expõe a biodiversidade florestas do Estado de São Paulo e as possibilidades de uso da madeira.

Cerca de duzentas pessoas participaram do evento, além de outros visitantes espontâneos do PEAL que aproveitaram as portas abertas do Arboreto 500 anos.

Estima-se que, em 2016, o Arboreto tenha sequestrado 100 toneladas de CO2. Em 2017, foi revitalizado e suas mais de 600 árvores receberam QRCode. Dessa forma, com um smartphone, todos podem acompanhar o crescimento de cada árvore e o quanto ela contribui para deixar o nosso ar mais limpo. Mas para que o visitante consiga acessar os dados, é necessário que vá a campo. As informações sobre cada espécie plantada só poderão ser obtidas nas placas de identificação das árvores. A ideia é trazer as pessoas ao Parque, estimular o contato com a natureza e ao mesmo tempo expandir a experiência, transmitindo conhecimento com o auxílio da tecnologia.

Os quatro bosques somam mais de 1.200 árvores plantadas entre 1974 e 2017:

  • Bosque do Banzé (43 anos) – cerca 120 árvores
  • Bosque da Previdência Social (17 anos) – mais de 80 árvores
  • Arboreto 500 Anos (17 anos) – mais de 600 árvores
  • Bosque da Amizade São Paulo – Tottori (5 anos) – 400 árvores

O evento foi promovido pelo Instituto Florestal e pela Coordenadoria de Parques Urbanos (CPU) – órgãos da Secretaria do Meio Ambiente, em parceria com a Japan Internacional Cooperation Agency (JICA), a Associação dos ex Bolsistas da JICA (Abjica) e a Associação Cultural Tottori-Kenshin

Fotos: Acervo Instituto Florestal / Paulo Muzio

Mais informações: Serviço de Comunicações Técnico-Científicas – Tel. (11) 2231-8555 / Ramal 2004